quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Devaneios no escuro


No escuro do meu quarto, á noite, quando fecho os meus olhos ainda sou capaz de te sentir a poucos centímetros de distância, tão pouca, que consigo sentir sua respiração em meu rosto. Queria que fosse real, ao abrir os meus olhos, você realmente estivesse em minha frente, olhando em meus olhos, tirando delicadamente o cabelo do meu rosto, e me implorasse apenas por mais um beijo antes da sua partida. 
Preciso dos seus beijos, do teu toque, do calor dos seus braços, da tua respiração em meu ouvido, do teu olhar intenso que fazia cada célula do meu corpo desejar cada uma do seu. Nunca sei o que aconteceu comigo depois que eu te conheci, você se tornou uma espécie de droga, pois quando estou com você esqueço todos os meus problemas, só consigo pensar no quanto a nossa atração é perfeita.
Por favor, não me deixa aqui nesse escuro, aspirando o teu toque. Apareça mais uma vez, e faça-me sentir cada dia mais sua. 

Devaneios de uma madrugada qualquer, há anos atrás, quando eu me doava completamente e só recebia migalhas. Por favor, não me julguem!