sábado, 28 de fevereiro de 2015

Palavras em um papel amassado


Foto por: Melina Souza
Eu estava nervosa, porque situava-me em sua frente, minhas mãos estavam trêmulas, não sabia o que fazer, nem falar, sou péssima falando, você sabe, prefiro escrever. Tinha um papel em meu bolso, com algumas palavras que havia colocado para fora em um momento de devaneio na madrugada anterior, tirei do meu bolso, e entreguei nas tuas mãos.
 Você ficou sem entender, mas, pegou o papel amassado e começou a ler, um frio na barriga tomou conta de mim, não tinha coragem de te olhar enquanto você lia, olhava para todos os lados possíveis, menos para o seu lado.
 Quando você acabou, desviou o olhar do papel, olhando para mim, com um olhar de pena, sem palavras eu conseguia entender que, te ter, continuaria sendo um dos meus sonhos.
 E, foi realmente isso que saiu da sua boca, mas, em outras palavras, para não me machucar tanto, isso não fazia mais diferença para mim, o meu coração havia partido em mil pedaços, tudo o que eu consegui fazer foi dar um sorriso amarelado disfarçar as lágrimas que insistiam em cair, pegar o papel em tuas mãos, e correr, daquele lugar, para bem longe da tua vida.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Sonhos e Insônia

 A muito tempo, você era o meu sonho, porém, ao meu ponto de vista, era inalcançável. Desde pequena, ouvia o clichê: "Nunca desista dos seus sonhos.", talvez no fundo, eu acreditava, e guardei só para mim.
 Passei muito tempo te admirando, de longe, querendo um dia estar perto, ninguém notou, incluindo você, que sempre me viu como a menina mais nova, e nunca, do jeito que eu realmente queria ser vista. Eram raras ás vezes que te via, mas, o suficiente para alimentar ainda mais o meu sonho.
 Um dia, quando eu não esperava, recebi um sinal, era apenas o início do que eu havia desejado por anos. Eu não sabia como reagir, um turbilhão de emoções tomou conta de mim, passei o resto do dia sorrindo para todos, estava tão feliz, que não conseguia fechar os olhos e dormir.
 Então, esperei o segundo sinal, ansiosamente. Muitas vezes dormia, só para o tempo passar mais rápido, mas, aquele sinal nunca chegava. Em uma noite, ao estacionar meu carro, uma amiga, que não sabia do meu sonho, ajudou-me a enxergar o sinal, que eu preferia não ter visto. 
 Você, lindo, como era costumeiro, ao lado do seu carro, com ela. Os meus olhos encheram-se de lágrimas, mas tive que ser forte e me controlar. Fiquei sabendo, da pior forma, que você está namorando. "Olha só, quem está namorando, que coisa boa... felicidades!", foi o que ouvi da minha amiga, e tive que balançar a cabeça afirmando, porque nenhuma palavra saia da minha boca, mas, bem no fundo, eu quero o seu bem, mesmo que eu não esteja, e mesmo que eu tenha ficado mais uma noite sem dormir, mas, dessa vez foram as lágrimas que causaram a minha insônia.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

A foto, o futuro e a saudade

 - Quando você estiver no último ano do colegial, olhe essa foto. - Foi uma das últimas frases que ouvi da sua boca. 
 Meus olhos se encheram de água, e eu apenas sorri, para disfarçar. Passei a tarde inteira chorando, eu não queria que você partisse, mas, o seu futuro estava começando, a sua hora de entrar na universidade havia chegado, e eu era apenas uma garota começando o ginásio.
 Passei meses com aquela frase em minha cabeça, acreditava que passaria anos contando ansiosamente para falar com você que havia chegado no fim do colegial, e, falar que tinha visto a nossa foto. Sempre imaginei como seria esse dia, como eu estaria, e onde você estaria ao ler esse texto, imaginei você, ao fim do dia, após mais um dia estressante de trabalho, você abriria o seu e-mail e, a sua esposa o interromperia para avisar que o jantar já estava pronto.
 Mas, não foi bem assim, o tempo passou mais rápido do que pensei, e, hoje entre uma fórmula de Matemática e um professor falando sobre vestibular, lembrei dessa fase, queria realmente ver a nossa foto, mas, ela se foi quando meu computador deu um treco.
 Lembro exatamente de cada detalhe daquela foto e do que senti naquele dia. Daqui a alguns meses, eu terei que partir, não sei como você está, nem se te enviarei esse texto, só queria te dizer que, a minha vez chegou , e sinto falta daquele tempo.