domingo, 10 de agosto de 2014

Liberta

Em uma dessas minhas noites de insônia enquanto vagava em uma das minhas redes sociais, vi a galera comentando uma foto tua. As tuas fotos que antes eu não perdia uma e tinha uma pasta no meu computador com todas elas, e as melhores ainda imprimia, recortava e colava no meu diário com palavras clichês e rodeadas de coraçãozinho. Idiotice, como eu perdia meu tempo fazendo isso? Amanado por dois, mendigando amor, que é uma coisa que não se implora. 
Mas graças a Deus você se foi. Hoje posso dizer assim, graças a Deus... Porque no dia que você se foi eu fiz o maior teatrinho. Escrevi palavras idiotas sobre você e sua namoradinha que eu achava ridícula mas hoje nem me importo, chorei por horas no banheiro, fiquei desejando um abraço teu. O abraço que hoje nem quero mais. Desde que você se foi tudo ficou bem, nem me lembro mais a última vez que chorei e não mendigo sentimento de ninguém.
Sei que você nunca vai ler isso também, mas, a felicidade de libertação é tão grande, que não coube dentro de mim, e eu tive que escrever.

Nenhum comentário:

Postar um comentário