sexta-feira, 31 de maio de 2013

Resenha: Crescendo

Crescendo é o segundo livro da série Hush Hush da Becca Fitzpatrick, o livro foi publicado pela editora Intrínseca, e como no primeiro livro da série, eu só tenho elogios a fazer, capricharam muito na capa (no livro original, a capa tem uma ótima textura, mas o meu é copia autorizada), a diagramação, a fonte e o espaçamento são ótimos, e as páginas são do jeito que eu gosto, amareladas (♥).
O livro conta a continuação da história de Nora Gray, que dessa vez está em uma fase boa, namorando à 2 meses com Patch, mesmo que a sua mãe não goste muito da ideia e faça de tudo para interromper, tanto estabelecendo horários para chegar em casa e até fazendo jantar para possíveis genros. Mas esse não é um problema comparado com os que virão, como também ser parceira de Marcie, sua inimiga desde o jardim de infância, em um cursinho de verão. 
Assim como Sussurro, Crescendo me prendeu de tal forma que eu sempre queria ler mais um capítulo, e sabe como é aquela história de "só mais um capítulo e eu já vou dormir/sair"? Foi o que aconteceu comigo. Eu li compulsivamente cada página e quando chego finalmente na última página do livro, acontece algo que realmente eu não esperava e o mistério só poderá ser desvendado no terceiro livro da série, Silêncio. 

P.s: Minha câmera voltou e eu não precisei mais pegar fotos emprestadas rs :)

domingo, 19 de maio de 2013

Eu e vocês

Escrevi que não escreveria mais nada para você. Mas isso já era estar escrevendo. Metade do caminho insensato, dei continuidade. Quero fazer o certo, mas já inicio errando. Sou sempre assim. Esse texto se iniciou errado, mas como eu escreveria um texto sobre mim? O que eu falaria de mim? Mas eu não quero falar de mim, eu quero falar de nós, ou, corrigindo... quero falar sobre vocês e sobre o que restou de mim, que foi pouca coisa, mas o suficiente para escrever esses textos patéticos que você e sua namoradinha nunca irão ler, vocês tem coisas mais importantes para fazer enquanto eu sobrevivo, porque viver, é coisa que eu não costumo fazer há bastante tempo. Eu escolhi guardar o amor, e sobrou pouquinho, estou triste, mas sem amor, tudo estaria pior. Continuo assim, juntando frases soltas para dizer que essa história não terá ponto final, ou exita um, dois, três... mal colocados, são reticências. 
Esse texto é diferente de todos os outros que escrevi para você, nunca houve amor entre nós, o amor era apenas da minha parte, eu amava por nós dois, querendo que existisse reciprocidade onde só existia ilusão da minha parte, onde só eu ficava mal e você ficava com todas as outras garotas lindas nas baladas. Eu sei que não sou linda, mas a maioria da beleza dessas garotas que você beijava nas baladas saem com desmaquilante. Então, você parou de beijar todas as garotas lindas que se jogavam aos seus pés, e pegou todo o amor que eu dei para você, anos e anos, e entregou todo a uma garota, a partir desse dia, meu mundo desmoronou e todas as vezes que eu via vocês dois juntos eu ficava o final de semana inteiro trancada no meu quarto chorando, minha mãe insista que eu comesse, que eu saísse de casa com as minhas amigas, mas eu não queria, eu apenas queria que tudo que eu sempre senti
por você tornasse reciproco. Meus amigos faziam você ler meus textos, você os elogiava e nunca percebia que eram todos escritos para você, e nunca encontrava a nossa história nas entrelinhas, acredito que você pensava que era só mais um clichê de uma adolescente para um garoto qualquer, nunca foi um garoto qualquer, fiz de você um garoto único em minha vida.
Todas as vezes que via fotos de vocês dois, lágrimas desciam, eu tentava olhar para o teto, pensar em outras coisas, mas nada funcionou, menos de um minuto era o suficiente para estragar todo o meu dia, toda a minha semana. Passou um tempo, e vocês pararam de postar foto, afinal você foi embora, e ela ficou aqui, mas hoje, eu vi mas uma foto de vocês. Se beijando. Pela primeira vez eu vi uma foto de vocês dois se beijando, algo que eu sempre quis, mas você me ignorava e fingia não saber de tudo que eu sentia por você, você se foi e eu fiquei sem saber se me já havia te esquecido ou se tinha me acostumado com a tua ausência, mas na verdade, acho que não sinto mais nada por você, hoje, pela primeira vez em minha vida, vi uma foto de vocês dois, senti inveja, claro! Na época em que aquela foto foi tirada, eu vivia querendo você, eu vivia querendo seu beijo, mas tudo o que eu ganhava era desprezo e nada mais, é um alívio para mim saber que hoje eu não sinto (quase) nada por você, e que, apesar de vocês dois estarem juntos, não estão perto.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Notícias

Estava vivendo bem sem você, não sei se te esqueci ou se já acostumei com a tua ausência, mas eu soube de notícias suas, e por um instante voltei a pensar em você. E se, agora que eu estou bem, você voltasse? Tudo voltaria. Lágrimas virariam costumeiras, ciúmes me fariam brigar com as pessoas, encontraria nós dois em todas as músicas românticas que ouvisse, desenharia corações em todo papel que eu pegasse, em dias chuvosos escreveria seu nome na janela e desejaria que você estivesse do meu lado para assistirmos um filme de amorzinho juntos, mas isso tudo não passaria das minhas vontades de ter você só pra mim.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Resenha: Minha vida fora de série - 1ª Temporada

 Vocês já devem ter percebido que eu me tornei fã da Paula Pimenta desde o primeiro livro escrito por ela, que eu li. Assim como os livros da série "Fazendo meu filme", li compulsivamente até acabar. Agora vou ter que esperar ansiosamente pela 2ª temporada que, segundo a Paula, lançará agora, no 1º semestre desse mês.
Quem já leu FMF, já conhece alguns personagens da nova série, inclusive a protagonista, a Priscila, ou, para os mais íntimos, Pri. Nesse primeiro volume, conhecemos os personagens aos 13 anos, muito antes de FMF, que conhecemos com 16 anos, então me senti como se tivesse feito uma viagem ao tempo. É muito bom saber como essas amizades surgiram.
A Pri, é um garota de São Paulo que tem uma paixão enorme por animais e seu maior sonho é se formar em veterinária. Depois do divórcio dos seus pais, se muda com sua mãe e "alguns" dos seus animais de estimação para Belo Horizonte. Lá ela descobre uma nova paixão, além dos animais: seriados! 
Assim como FMF, me envolvi com a História, senti os dramas vividos pela Pri, me apaixonei ainda mais pelo Rodrigo e pelo Leo (porque em livros sempre tem meninos perfeitos? aiai), chorei, ri e torci muito para um final feliz (mesmo sabendo o que iria acontecer porque li a série inteira de FMF).
Os aspectos físicos, são parecidos com os de FMF, a Paula e a editora Gutenberg cuidaram muito bem, a capa é muito linda, tem verniz localizado (♥), as fontes, as margens e o espaçamento são ótimos. E no começo de cada capítulo, tem alguma frase das séries favoritas da Pri, que combinam perfeitamente com o momento vivido no capítulo.

Fotos por: Melina de Souza