segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Resenha: Turma da Mônica - Laços


Cresci lendo histórias da turma da Mônica, me empolguei bastante quando criaram uma versão "jovem" e me empolguei mais ainda com a ideia da produção de histórias em quadrinhos com roteiros e desenhos mais "elaborados" do que o usual. Eu ainda não conhecia o trabalho do Victor e do Lu, mas eu esperei muito do livro e eles conseguiram superá-la.

 A história é simples: Floquinho, o cachorro do Cebolinha sumiu e a turma se reúne para encontrá-lo. Apesar de ser uma releitura, Laços respeita as características dos personagens (o Cebolinha troca o R pelo L, a Mônica tem a sua super força, a Magali é comilona e o Cascão foge de água, não toma banho). Os conflitos vividos pelos personagens prendem a atenção do leitor, que fica curioso para saber como eles vão se virar.
Em relação aos desenhos, os autores mesmo com o traço mais detalhado, não perderam os traços originais (cabelos, roupas, expressões faciais, cenários). O projeto gráfico é encantador, capa, arte-final, diagramação, papel). 

 Espero que tenham gostado da última resenha do ano. Desde já, desejo a todos vocês um ano novo maravilhoso, repleto de coisas boas. Beijos!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Resenha: Minha vida fora de série - 2ª temporada

 Olá pessoal, estou fazendo hoje uma resenha que eu já deveria ter feito a bastante tempo, porém estava sem tempo para postar aqui por conta do colégio, mas agora estou de férias e pretendo postar com mais frequência aqui, há alguns livros que eu li e não resenhei, e outros que comprei durante o ano e não li. Minha vida fora de série - 2ª temporada trás a continuação da história da Priscila, uma garota de São Paulo que é apaixonada por animais e sonha em ser veterinária. Após os divórcio dos seus pais, se muda com a sua mãe e "alguns" dos seus animais de estimação para Belo Horizonte. Lá ela descobre uma nova paixão: seriados.

 Como sempre, a Paula Pimenta arrasou, o livro é emocionante, narra a continuação da história da Pri, que já completou 16 anos, entrou de vez na adolescência, se envolve em viagens e aventuras emocionantes, amizades que pareciam sólidas e que de repente se perdem, a aproximação do vestibular, e muita fofura do Rodrigo, claro. Assim como a série Fazendo meu filme, e a 1ª temporada de Minha vida fora de série, me envolvi com o livro, sorri, gritei, suspirei, chorei, sonhei, tudo isso juntamente com a Pri. 

 Quanto aos aspectos físicos, a editora Gutenberg mandou bem. A capa é linda, com verniz localizado, diagramação e fonte perfeitas, cada início de um capítulo, uma frase de seriado, muito e-mail, cartinhas, a leitura é tão empolgantes que nem percebemos que já chegou ao fim, mesmo a as páginas sendo brancas. 

Gostei bastante do livro, e recomendo a todos, principalmente as Pimentinhas (fãs da Paula Pimenta). ♥

sábado, 23 de novembro de 2013

Mudei

 Mudei bastante. Mas, eu queria saber se mudei para melhor, ou para pior. Já fui bastante sensível, a ponto de chorar com filmes e novelas, acreditar que os finais felizes de livros aconteceriam comigo, que o mocinho bonito iria se apaixonar por mim, mas o tempo passou e aprendi que tudo aquilo era ilusão, que nunca iria acontecer comigo, era pura fantasia da minha cabeça. 
 Mas de um tempo para cá, tudo está diferente, ignoro cenas românticas de filme e novela, é tudo artificial, não acredito mais em nada, não acredito mais no amor, se algum garoto diz "eu te amo" para mim, é difícil acreditar, não me apego mais a ninguém, bem lá no fundo, essa minha insensibilidade é medo de me decepcionar. 
 Já ouvi "eu te amo" da boca para fora, já me decepcionei com pessoas que jamais pensei em me decepcionar, já me apaixonei por um garoto que me humilhava bastante, pessoas que eu gosto, já sofreram bastante por amor, já acreditei que o final daquele livro da Paula Pimenta iria acontecer comigo, mas não aconteceu, não vai acontecer. Essas coisas só acontecem com garotas de rostinho bonito, e, sinceramente, todo mundo sabe que eu não sou essa garotinha do rosto bonito, essas histórias de amor, ficaram para elas, não é coisa para mim, nunca foi. 
 Não sei como uma pessoa muda assim, rapidamente, totalmente, uma garota totalmente iludida hoje é aquela que se joga na balada e não liga mais para garotos, para amor e coisas do tipo, a garota que não se arruma para aquele garoto, e sim para estar bem consigo mesmo, a garota que aprendeu a se amar primeiro em vez de amar um garoto qualquer, a garota que apesar de todas ilusões não desce do salto e sorri. 

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Resenha: A culpa é das estrelas

  Finalmente li o livro que estava em minha listinha a bastante tempo, após imensos comentários aqui na rede e em outros lugares, pude tirar minhas próprias opiniões. A Culpa é das estrelas foi publicado pela editora Intríseca e eu gostei muito da edição, as páginas são levemente amareladas (♥), a capa é linda, principalmente o tom de azul aplicado, e a margem e os espaçamentos são ótimos.

 Hazel Grace é uma garota de 16 anos que está em um estágio terminal de câncer desde os 13 anos. Em uma das reuniões do Grupo de Apoio à Crianças com Câncer ela conhece Augustus Water (Gus), um garoto mais velho de olhos azuis e, não tira os olhos da Hazel durante o encontro. Na saída do encontro eles começam a conversar e dai em diante vai surgindo uma amizade especial entre os dois.

 O livro pode parecer chato, por falar sobre câncer, mas é muito pelo contrário, o livro conta a história de adolescentes que sobrevivem com essa doença. Hazel e Gus, que nem sempre entram em acordo, fala de uma forma sincera sobre o câncer, vida, sonhos etc.

 Os diálogos são irônicos, emocionantes e divertidos. Em todas as páginas do livro você ri, chora, reflete, é um livro repleto de sentimentos e emoções que continuam com você mesmo depois de ler a última página, e em algumas partes do livro senti uma agonia enorme dentro de mim (como se eu fosse a Hazel), senti até falta de ar (já que a Hazel tem câncer no pulmão). 


O livro é repleto de frases fofas e reflexões, que com certeza podem ser levadas para o resto da vida, indico à todos (:

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Resenha: De volta aos Quinze

 O segundo livro escrito por Bruna Vieira, conta a história da Anita, uma mulher de 30 anos, que tem uma vida muito diferente da que ela sonhou em ter, um dia, ela encontra sem querer o seu primeiro blog, escrito quando tinha apenas 15 anos, algo inusitado acontece e tudo ao seu redor se transforma de uma hora para outra. Com cabeça de 30 anos, e corpo de 15, ela se vê vivendo de novo as aventuras do ensino médio, ao procurar mudar acontecimentos ela percebe que as consequências das atitudes tomadas nem sempre são como ela imagina. Diante amores impossíveis, amizades desfeitas e atritos familiares, Anita tenta modificar seu próprio final feliz. 
SMS no celular :)

 Se você está procurando um livro para ler rapidamente cada página, acabou de encontrar. Li em apenas um dia, os capítulos não são curtos, então a cada página que você lê, já quer saber o final, e fui pensando "Ah, só mais um capítulo e eu vou fazer outra coisa", mas eu não consegui parar enquanto não terminei. Gostei da história, um romance bem real apesar da viagem ao passado, mas ocorre fatos comuns em nossas vidas, como se apaixonar pelo melhor amigo, sentir insegura no ensino médio, e sofrer por amores não correspondidos, o problema da Bruna foi que ela não conseguiu criar uma personagem, ela praticamente se inseriu na história, pois há muitos fatos em comum na vida dela, quanto na da Anita (usa lentes de contato por ser míope, sai do interior de Minas para morar só em São Paulo, tem uma gata preta, uma câmera da Canon), e achei a cabeça da Anita infantil demais para ter 30 anos, e estranho uma adulta que trabalha, cuida da casa, e tem contas para pagar viver o dia inteiro em redes sociais (Facebook, Whatsapp, Skype, Twitter) e trocando SMS, fora isso, a história é boa, e a Bruna ainda tem bastante tempo para aperfeiçoar a escrita, afinal ela ainda é nova e é costumada a escrever crônicas, com a prática, ela vai melhorar. 

 Quanto aos aspectos físicos, a editora Gutenberg arrasou, não tem nenhum defeito. As páginas são levemente amareladas, tem conversas de Facebook, Whatsapp, SMS com o mesmo design, cartas e bilhetes como se tivesses realmente um pedaço de papel colado no livro, listas feita pela Anita com desenhos, e muito mais, realmente, não tenho o que reclamar dos aspectos físicos.

Indico à todas garotas, e até mesmo mulheres que apreciam um bom romance. =)

sábado, 21 de setembro de 2013

Então, hoje é seu aniversário

  Então, hoje é o seu aniversário, juro que não estava lembrando, estava me desapegando facilmente de você, mas veio uma criatura e me fez lembrar: "Hoje é o aniversário dele, sabia?" Nossa, parece que há pessoas que só vieram para a terra com a missão de destruir a vida dos outros, e em especial, a minha. Fiquei sem resposta, eu sei a data do seu aniversário e até mesmo o ano que você nasceu, mas eu havia mesmo esquecido que era justamente hoje. Não sou uma dessas pessoas que costumam olhar calendário, às vezes fico o dia inteirinho sem saber a data... Eu sei que sou estranha, nunca fui normal.
  Então, hoje é seu aniversário, e o que eu posso fazer? Nada. Ou, quase nada. Deixar um recado no Facebook (que vai ser exatamente isso) é nada comparado a tudo que eu poderia te dar, porque até meu coração eu já te dei. Eu queria te ligar e dizer tudo que está subtendido, queria te abraçar, queria poder sentir teu cheiro se misturando com o meu. Eu te amo, e queria significar pra você. 
 Então, hoje é o seu aniversário, e o que ela vai fazer? Tudo. Ou, quase tudo. Ela vai te deixar um texto no Facebook, dizendo que você é tudo na vida dela, e todos aqueles clichês que ela escreve, odeio ela ser tão sem graça e você continuar com ela. Será que ela já deu o coração para você? Acredito que não. Ela vai te ligar e falar o que até ursinho de R$ 1,99 fala. Clichê, ela é puro clichê, e você só está com ela por causa da beleza, sinto muito ter que dizer, mas beleza não é para sempre. 
 Então, hoje é seu aniversário, e eu estou aqui na aula de Física, pensando em tudo que eu não te disse, estou aqui escrevendo palavras que você nunca vai ler, é sempre assim. Então, hoje é seu aniversário, e eu desejo a você tudo de bom, tá? Eu reconheço que é uma coisa que todo mundo vai falar pra você hoje, mas é isso aí, e não importa se você vai ser feliz ao lado dela, aqui ou na China, se tu ficar feliz, eu fico bem, não fico feliz, mas, eu fico bem.


P.s: Texto escrito há 11 meses atrás, hoje já não faz tanto sentido assim para mim.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Resenha: Fallen

 Luce, a protagonista do livro tem uma estranha sensação de que conhece Daniel Grigori. Misterioso e solitário, ele chama atenção de Luce no primeiro dia de aula no internato. Mudar de escola foi difícil para a jovem, mas encontrá-lo parece aliviar o peso das sombras que atormentam seu passado: um incêndio misterioso levou Luce até ali. Atraída por Daniel, ela quer descobrir o segredo que ele tanto esconde... mesmo que isso a aproxime da morte. 
O livro foi escrito pela Lauren Kate, escritora famosa de ficção adulta/jovem. Fallen foi o primeiro livro que li da escritora, por indicação de uma amiga. Confesso que no início eu não estava gostando, porque estava apaixonada demais pela série Hush Hush e queria compará-la, mas ao decorrer da leitura fui gostando e me surpreendeu com o final. 

O meu livro foi comprado na Avon, ou seja, edição econômica, por isso as capas são brancas, e a capa um pouco mole, mas a edição original possui página amare
lada e capa dura com um ótimo acabamento. A capa é linda, e foi publicado pela Galera Record, mesmo sendo de edição econômica, eu gostei e não me incomodo de ler, o conteúdo é o mesmo, mudando somente a qualidade da capa e a cor das páginas. 
Indico a série para quem gostou de Crepúsculo e Hush Hush, que possui um gênero bastante parecido, garanto às meninas muitos suspiros com Daniel. 

(Desculpem eu não ter tirado fotos para a resenha, emprestei o livro antes de tirar foto, a foto acima eu roubei do meu Instagram, que sou eu lendo Fallen, e minha amiga, Catharina, lendo Cidade das Cinzas, o segundo volume da série Instrumentos Mortais.)

Quem aí já leu? Gostaram? 
Beijos!

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Tag: Como eu leio?

Olá pessoal, como prometi postar com mais frequência aqui no blog, aqui estou, trazendo mais uma tag literária para vocês, não se preocupem porque estou preparando mais uma resenha, e novos looks para vocês, espero que tenham gostado de algumas alterações que fiz no layout. Vi uma tag super legal no blog Fala Sério, da Irene, uma amiga minha e ela deixou aberto para quem quisesse responder. 

A aquisição 

1- Sempre compra você mesmo(a) seus livros ou tem anjos da guarda? Se tem, quem são eles normalmente? 
O único anjo da guarda que tenho é meu pai, com ele aprendi o hábito da leitura e ele sempre me presenteia com livros, raramente compro.
2- Gasta quanto (em média) por mês com livros? Já estourou o cartão de crédito com livros? 
Pra falar a verdade, nunca compro a mesma quantidade de livros por mês, tem meses que compro apenas, outros nenhum (por ter muitos pra ler), outros três, seis... nunca gasto a mesma quantia. Embora eu não tenha cartão de crédito, sou muito controlada e nunca exagero na hora das compras, compro ou peço aos meus pais o que podem me dar de acordo com os gastos do mês.
3- Consegue livros emprestados com frequência? Se sim, quem te empresta normalmente? 
Eu até conseguiria, pois tenho muito amigos leitores, mas não peço, porque odeio ler livros emprestados, fico preocupada demais em cuidar, cuido bem mais que os meus, se eu gostar do livro, rola aquela angústia de devolver, e também que não gosto de emprestar meus livros, empresto para poucas pessoas, só para os mais íntimos e gente que cuida bem. 

O deleito 

1- Lê em média quantos livros por mês?
No máximo três, mas quando tenho bastante coisa da escola pra fazer, leio apenas um. 
2- Lê em média quantas páginas num dia da semana? E nos fins de semana?
Não sei, só sei que leio mais nos dias da semana, no fim de semana sempre acabo fazendo coisas a mais e não leio muito.

O local do Crime

1- Consegue ler em local movimentado?
Sim, leio todos os dias nas escola, viajo com a minha imaginação e não ouço barulho nenhum, só quando me chamam pra dizer que o professor entrou na sala. 
2- Prefere ler na mesa, sofá, no chão ou na cama? 
No sofá, pois na cama sempre acabo com sono ou dormindo. 
3- Qual a hora do dia que prefere ler?
À noite 

Os impedimentos 

1- É  solteira? Se sim, seu namorado, noivo, esposo te dá espaço para ler?
Sou solteira. 
2- Lê no trabalho? Se sim, qual emprego dá essa dádiva de ler na hora do serviço?
Não trabalho, estudo, e leio na escola, no intervalo, antes do professor entrar na sala, e na hora da chamada, aproveito todo momentinho vago pra ler. 
3- Já deixou de sair com a galera só pra ler capítulos irresistíveis?
Não.

As insanidades 

1- Já sonhou ou teve pesadelos lendo histórias de um livro? Qual foi o livro?
Sim, "Eclipse", sonhei que eu era a Bella e estava beijando o Jacob, foi muito hilário. 
2- Qual a maior loucura que já fez pra conseguir um livro?
Que eu me lembre, nenhuma. 
3- Já chorou ao terminar um livro? De felicidade ou de tristeza? Qual livro? 
Sim, em vários, mas todos foram de felicidade. Chorei em quase todos da série "Fazendo meu filme" e também chorei lendo o último de Hush Hush, "Finale". 

Então é isso, gostei bastante a tag, quem quiser fazer, sinta-se à vontade. Beijos!

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Recaídas

 Recordo-me de anos atrás, ainda éramos jovens, mas eu tinha uma paixão platônica por você, queria que você fosse mais que um amigo meu, porém aquele sentimento não havia reciprocidade e após lágrimas consegui te esquecer, conheci novas pessoas, mudei a cor do meu cabelo e fui ser feliz, mas você voltou, e dessa você sentia algo por mim, queria alguma coisa comigo, você simplesmente já não fazia sentido em minha vida, não queria mais você ao meu lado, não queria que você fizesse parte da minha vida, o tempo de ficarmos juntos, havia passado, então você se conformou e partiu, não fiquei mal, apenas segui minha vida, conheci outras pessoas e continuei com a mesma cor no cabelo. 
Pensei que era o fim, mas não era, você me chamou no facebook, como quem não queria nada, perguntando se eu iria para aquela festa, e depois desse dia, meu coração parece que sentiu falta de sofrer e só quer te querer, passo meus dias assim, só querendo que você me chame outra vez no chat do facebook, querendo um sms seu, querendo um beijo seu, querendo tanto ter a sua presença que encontro você em outras pessoas na rua, na fila do pão, no cinema ou dentro de um carro. 
Não sei mais o que fazer, eu quero você, quero ser sua, estou disposta para ficar do seu lado, mas você não vê, você não percebe que dessa vez eu quero você, sinto a vontade de te dizer tudo que estou sentindo nesses últimos meses, mas não tenho coragem, tenho medo de você me achar louca, ou algo assim, tenho medo do que você vai pensar de mim, tenho medo do que estou sentindo, não sei se é atração, recaída, ou amor (sinto náuseas só de pensar), o que me resta é apenas o tempo, se for pra nós dois ficarmos juntos, ficaremos. 

Imagem: Weheartit 

domingo, 4 de agosto de 2013

Tag: Marido literário

 Olá pessoal, hoje vim trazer para vocês mais uma tag literária, quem me marcou foi a minha amiga Irene do blog Fala sério que é um blog super legal, que aborda todos os assuntos, desde livros à moda, passem por lá. Ok, vamos deixar de blabla e começar a tag. 

Regras:
- Responder as perguntas
- Indicar cinco blogs ou mais
- Citar quem te indicou 

1. Que características fazem que um personagem entre na lista de "maridos"?
 Fofo, romântico mas também que seja misterioso e sedutor. Logo de primeira me apaixono em personagens assim, tem que ser um pouquinho de cada coisa. 
2. O que menos te atraí em um personagem? 
Aqueles que maltratam demais a mocinha e no final, do nada, se torna o fofo da história. Odeio esse tipo de personagem. 
3. Quem é seu atual marido literário? 
Patch Cipriano, o anjo caído mais fofo e sedutor do mundo (desculpa Nora Grey). Ele é o tipo mocinho que te faz suspirar, sorrir, chorar e desejar ter um pro resto da vida (literalmente). Ok, vou parar por aqui antes que eu conte algum spoiler da saga Hush Hush. Mas já fui apaixonada pelo St. Clair de Anna e o Beijo Francês, e morro de vontade de ter um Leo ou um Rodrigo em minha vida, os mocinhos lindos dos livros da Paula Pimenta. Mas, meu marido mesmo é o Patch, de Hush Hush. 

Indico: Quem quiser fazer, sinta-se a vontade. 

Boa semana para vocês, beijos!

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Tag: Sete pecados capitais da leitura

Hoje venho trazer para vocês mais uma tag no blog, inclusive acho que essa é a primeira literária que faço aqui. Vi essa tag no blog da Beatriz - Prateleira Colorida  e ela deixou aberto para quem quisesse faz, então estou fazendo. Algumas pessoas fizeram essa tag em vídeo, mas eu morro de vergonha de vídeos, e por enquanto minhas tags serão escritas mesmo. 
Tim meu minion lindo s2

Perguntas: 
Gula: Qual livro você devorou rapidinho? (E que sempre relê?)
"Fazendo meu filme 3", foi o livro que eu li mais rápido até hoje, comecei a ler em uma tarde de Domingo e terminei à noite, tudo isso porque eu estava encantada com a série, e é o meu livro preferido da série, apesar que eu nunca tenha relido.
Ganancia: Qual seu livro mais caro e também o mais barato? 
O livro mais caro não lembro no momento, mas o mais barato foi "A Hospedeira" e paguei apenas R$9,90 nele em uma promoção relâmpago que teve na Submarino. 
Preguiça: Qual livro você começa a ler, mas sempre deixa como segunda opção? 
"Garota perfeita", foi um livro que comprei em uma promoção na Submarino porque tinha a capa bonita e o frete não deixava o livro tão caro, já li mais da metade, só que toda vez que volto para ler, ganho/compro algum livro que quero muito ler e ele acaba ficando para trás. 
Ira: Com qual autor você tem relação de amor e ódio? 
Com certeza é a Becca Fitzpatrick, escritora da série Hush Hush. Embora o meu lado de amor é bem maior porque ela escreveu a melhor série que eu li até os dias de hoje, mas eu odeio ela porque faz muito suspense, mata meus personagens favoritos e ainda por cima quando você pensa que está no fim do livro e que tudo ficará bem, acontece algo inesperado. 
Orgulho: Qual livro da sua estante você mais se orgulha falar sobre? 
Minha vida fora de série 1, porque me ensinou que não precisamos da família perfeita e completa para ser feliz.
Luxúria: Qual o maior gasto que já cometeu? (pode ser em valor ou em quantidade).
Não gosto de comentar valor, mas o maior gasto que cometi foi em Abril que comprei 4 livros de vez no mesmo dia em uma livraria física, e no mesmo mês comprei mais 2, um pela internet e outro pela revista Moda&Casa Avon.
Inveja: Que livro você sempre vê por aí, todo mundo tem e você deseja ardentemente?
A Culpa é das estrelas. Pode parecer mentira, mas eu não tenho e nunca li, um livro que muitas pessoas já leram. Para falar a verdade, eu ainda não sei porque comprei, mas tudo bem, espero comprá-lo ainda nesse ano, já que só ouço elogios sobre o mesmo.

Essa foi a tag sobre os 7 pecado capitais, e quem quiser fazer, está livre.
Beijos!

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Resenha: Segredos de Menina

 A protagonista de Segredos de Menina está passando pela fase de descobrir o mundo e se descobrir, com 12 anos, filha de uma família católica e numerosa, mora em um bairro de classe média e mudou de colégio quatro vezes em apenas sete anos, a única coisa que ele gosta de verdade é ficar o dia todo na rua acompanhada dos amigos. Enquanto o tempo passa ela não é mais a mesma garota, seguimos seus passo em Buenos Aires dos anos setenta, entre a morte de
Perón e a Copa do Mundo. A mãe depressiva, o pai ausente, brigas contantes com os irmãos, internato, primeira vez, experiência com alucinógenos. Tudo vai desenhando o perfil dessa adolescente.
A garota da capa é a própria escritora aos 14 anos. 
O livro foi escrito por Maitena Burundarena, uma cartunista famosa que eu ainda não conhecia, quem me apresentou me presentando com o livro foi o meu pai, esse é o primeiro romance escrito por ela, nascida na Argentina cartunista de séries como Mulheres Alteradas. 
Foi Publicado pela editora Benvirá, esse foi meu primeiro contato com a editora, e eu só tenho elogios para fazer, diagramação perfeita, margens fonte, também; página levemente amareladas, e o livro tem um cheirinho maravilhoso (sim, eu também cheiro livros ♥). 
Cada parte tem aproximadamente 5 ou 6 capítulos.
O livro é divido por três partes e os capítulos são compridos, apesar de ter algumas partes tensas como a primeira vez da protagonista, outras relações sexuais, palavrões e contatos com drogas eu indico à todos, principalmente as garotas que estão nessa fase de descobrir o mundo. 

domingo, 30 de junho de 2013

Conto: Presente

Cansada, despenteada, de pijama deitada no sofá assistindo uma comédia romântica, pensando em como nossa vida poderia ser igual ao filme, meus pensamentos são interrompidos com minha música favorita, talvez a nossa música favorita, era o meu celular tocando, deixei um sorriso escapar quando olhei o visor e vi teu nome, fazia tempo que não via. 
- Oi
- Oi, amanhã é seu aniversário, certo?
- Não me lembre.
- Porque?
- Não quero ficar velha.
- Você sempre será a minha garota, aquela garota que conheci há alguns anos atrás. 
Fiquei muda por um momento, minha mente havia sido invadida por memórias, memórias de quando nos conhecemos. 
- É que eu comprei seu presente, depois eu mando alguém te entregar.
- Não aceito, você que terá que me entregar pessoalmente. 
Você encerrou a chamada, como eu conhecia tão bem, aquilo era a mesma coisa de um sim, fui direto ao banheiro e tomei banho, troquei de roupa, penteei o cabelo que não via pente há dias, a campainha tocou e você estava lá, lindo como o dia que nos conhecemos. 
- Entra.
- Não, só vim trazer isso. -Você disse me entregando o embrulho. 
- Ok.
Você não resistiu e entrou, você não viu, mas eu sorri. Entramos na sala e você me abraçou.
- Eu sinto a sua falta. -Eu disse.
- Eu sinto falta do seu abraço.
- Apenas do abraço? 
Você me abraçou mais forte e me beijou, de uma forma doce e carinhosa como sempre fazia, eu havia esperado aquele momento por muito tempo, eu queria que você estivesse sempre presente.

Observação: Esse texto é um conto, ou seja, não aconteceu e não há nenhum fato baseado com a minha realidade.
Foto: Tumblr

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Brincando de roteirista

Oi, peço desculpas pela desatualização do blog, algumas pessoas pensaram que eu abandonei, mas jamais abandonarei esse blog, foi com esse blog que eu consegui superar muitos momentos difíceis em minha vida, mas não estou escrevendo para falar sobre isso, e sobre uma coisa que eu acredito que deve ser compartilhada com vocês, meus seguidores, leitores e amigos. Estou escrevendo uma Fanfic. Existem vários sites de fanfics, mas eu utilizo o Nyah, por indicação de uma amiga, ela que me incentivou a escrever, como vocês sabem, foi por causa da escrita que eu criei esse blog, embora eu não tenha escrito muitos textos com frequência, mas algumas coisas são pessoais demais e eu prefiro não expor, afinal pessoas que fazem parte do texto visitam meu blog também e isso é desagradável. 
Para quem não sabe, Fanfic são histórias inspiradas em algum filme/livro/seriado/banda que gostamos muito, mas escritas por fãs, se você é fã de Hush Hush, pode escrever uma história sobre, se você curte Big Time Rush, também pode criar uma história envolvendo os meninos, ou, pode criar uma história original, ou seja, tudo criado por você, até mesmo os personagens. 
A história que eu escrevo, chama-se "A Repetente" que conta a história de uma garota que era popular na escola e na cidade que morava, até repetir o 1º ano do Ensino Médio, uma história com bastantes conflitos, romance, e momentos costumeiros que nós meninas e até meninos passam alguma vez na vida. 

Sinopse: 
Após uma ano de popularidade,festas e amigos,Becca Cipriano pela primeira vez perde o ano na escola. Em uma história de romance, descobrirá quem eram os verdadeiros, quem estavam ao seu lado apenas pela popularidade, e terá que se readaptar a sua antiga vida de impopular.

Se você quiser conferir as emoções vividas pela Becca, é só clicar aqui.

Imagem: Weheartit, mas editada por mim. 

Beijos!

domingo, 9 de junho de 2013

Resenha: Pinóquio

Capa linda s2 
Neste livro o personagem inocente e original criado por Carlo Collodi transforma-se em um personagem sombrio. Pinóquio é uma máquina de guerra que, caminhando em lugares sórdidos entra em contato com a violência, a ganância, a corrupção e a crueldade enquanto conhece a fauna humana, do industrial que explora crianças à trabalhar (e Pinóquio também trabalha), a caçadores de recompensas, além de uma Branca de Neve moderninha e Sete anões sadomasoquistas.
Parte colorida
A trama é contada por maior parte em imagens, as falas são poucas. Só há textos quando aparece o personagem Jimmy Barata que corresponde ao original Grilo Falante. Contém algumas cenas polêmicas como corrupção, insinuações à sexo e homossexualismo, quem não se incomodar em ler esse tipo de coisa, fique livre, pois eu não defino idade porque idade é diferente de maturidade.
Fundo do livro 
O livro foi publicado pela editora Globo  e eu só tenho elogios a fazer, a capa é encantadora e esse foi um dos quesitos que me fez querer ler, as imagens são lindas e muito criativas e as páginas são de ótima qualidade.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Resenha: Crescendo

Crescendo é o segundo livro da série Hush Hush da Becca Fitzpatrick, o livro foi publicado pela editora Intrínseca, e como no primeiro livro da série, eu só tenho elogios a fazer, capricharam muito na capa (no livro original, a capa tem uma ótima textura, mas o meu é copia autorizada), a diagramação, a fonte e o espaçamento são ótimos, e as páginas são do jeito que eu gosto, amareladas (♥).
O livro conta a continuação da história de Nora Gray, que dessa vez está em uma fase boa, namorando à 2 meses com Patch, mesmo que a sua mãe não goste muito da ideia e faça de tudo para interromper, tanto estabelecendo horários para chegar em casa e até fazendo jantar para possíveis genros. Mas esse não é um problema comparado com os que virão, como também ser parceira de Marcie, sua inimiga desde o jardim de infância, em um cursinho de verão. 
Assim como Sussurro, Crescendo me prendeu de tal forma que eu sempre queria ler mais um capítulo, e sabe como é aquela história de "só mais um capítulo e eu já vou dormir/sair"? Foi o que aconteceu comigo. Eu li compulsivamente cada página e quando chego finalmente na última página do livro, acontece algo que realmente eu não esperava e o mistério só poderá ser desvendado no terceiro livro da série, Silêncio. 

P.s: Minha câmera voltou e eu não precisei mais pegar fotos emprestadas rs :)

domingo, 19 de maio de 2013

Eu e vocês

Escrevi que não escreveria mais nada para você. Mas isso já era estar escrevendo. Metade do caminho insensato, dei continuidade. Quero fazer o certo, mas já inicio errando. Sou sempre assim. Esse texto se iniciou errado, mas como eu escreveria um texto sobre mim? O que eu falaria de mim? Mas eu não quero falar de mim, eu quero falar de nós, ou, corrigindo... quero falar sobre vocês e sobre o que restou de mim, que foi pouca coisa, mas o suficiente para escrever esses textos patéticos que você e sua namoradinha nunca irão ler, vocês tem coisas mais importantes para fazer enquanto eu sobrevivo, porque viver, é coisa que eu não costumo fazer há bastante tempo. Eu escolhi guardar o amor, e sobrou pouquinho, estou triste, mas sem amor, tudo estaria pior. Continuo assim, juntando frases soltas para dizer que essa história não terá ponto final, ou exita um, dois, três... mal colocados, são reticências. 
Esse texto é diferente de todos os outros que escrevi para você, nunca houve amor entre nós, o amor era apenas da minha parte, eu amava por nós dois, querendo que existisse reciprocidade onde só existia ilusão da minha parte, onde só eu ficava mal e você ficava com todas as outras garotas lindas nas baladas. Eu sei que não sou linda, mas a maioria da beleza dessas garotas que você beijava nas baladas saem com desmaquilante. Então, você parou de beijar todas as garotas lindas que se jogavam aos seus pés, e pegou todo o amor que eu dei para você, anos e anos, e entregou todo a uma garota, a partir desse dia, meu mundo desmoronou e todas as vezes que eu via vocês dois juntos eu ficava o final de semana inteiro trancada no meu quarto chorando, minha mãe insista que eu comesse, que eu saísse de casa com as minhas amigas, mas eu não queria, eu apenas queria que tudo que eu sempre senti
por você tornasse reciproco. Meus amigos faziam você ler meus textos, você os elogiava e nunca percebia que eram todos escritos para você, e nunca encontrava a nossa história nas entrelinhas, acredito que você pensava que era só mais um clichê de uma adolescente para um garoto qualquer, nunca foi um garoto qualquer, fiz de você um garoto único em minha vida.
Todas as vezes que via fotos de vocês dois, lágrimas desciam, eu tentava olhar para o teto, pensar em outras coisas, mas nada funcionou, menos de um minuto era o suficiente para estragar todo o meu dia, toda a minha semana. Passou um tempo, e vocês pararam de postar foto, afinal você foi embora, e ela ficou aqui, mas hoje, eu vi mas uma foto de vocês. Se beijando. Pela primeira vez eu vi uma foto de vocês dois se beijando, algo que eu sempre quis, mas você me ignorava e fingia não saber de tudo que eu sentia por você, você se foi e eu fiquei sem saber se me já havia te esquecido ou se tinha me acostumado com a tua ausência, mas na verdade, acho que não sinto mais nada por você, hoje, pela primeira vez em minha vida, vi uma foto de vocês dois, senti inveja, claro! Na época em que aquela foto foi tirada, eu vivia querendo você, eu vivia querendo seu beijo, mas tudo o que eu ganhava era desprezo e nada mais, é um alívio para mim saber que hoje eu não sinto (quase) nada por você, e que, apesar de vocês dois estarem juntos, não estão perto.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Notícias

Estava vivendo bem sem você, não sei se te esqueci ou se já acostumei com a tua ausência, mas eu soube de notícias suas, e por um instante voltei a pensar em você. E se, agora que eu estou bem, você voltasse? Tudo voltaria. Lágrimas virariam costumeiras, ciúmes me fariam brigar com as pessoas, encontraria nós dois em todas as músicas românticas que ouvisse, desenharia corações em todo papel que eu pegasse, em dias chuvosos escreveria seu nome na janela e desejaria que você estivesse do meu lado para assistirmos um filme de amorzinho juntos, mas isso tudo não passaria das minhas vontades de ter você só pra mim.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Resenha: Minha vida fora de série - 1ª Temporada

 Vocês já devem ter percebido que eu me tornei fã da Paula Pimenta desde o primeiro livro escrito por ela, que eu li. Assim como os livros da série "Fazendo meu filme", li compulsivamente até acabar. Agora vou ter que esperar ansiosamente pela 2ª temporada que, segundo a Paula, lançará agora, no 1º semestre desse mês.
Quem já leu FMF, já conhece alguns personagens da nova série, inclusive a protagonista, a Priscila, ou, para os mais íntimos, Pri. Nesse primeiro volume, conhecemos os personagens aos 13 anos, muito antes de FMF, que conhecemos com 16 anos, então me senti como se tivesse feito uma viagem ao tempo. É muito bom saber como essas amizades surgiram.
A Pri, é um garota de São Paulo que tem uma paixão enorme por animais e seu maior sonho é se formar em veterinária. Depois do divórcio dos seus pais, se muda com sua mãe e "alguns" dos seus animais de estimação para Belo Horizonte. Lá ela descobre uma nova paixão, além dos animais: seriados! 
Assim como FMF, me envolvi com a História, senti os dramas vividos pela Pri, me apaixonei ainda mais pelo Rodrigo e pelo Leo (porque em livros sempre tem meninos perfeitos? aiai), chorei, ri e torci muito para um final feliz (mesmo sabendo o que iria acontecer porque li a série inteira de FMF).
Os aspectos físicos, são parecidos com os de FMF, a Paula e a editora Gutenberg cuidaram muito bem, a capa é muito linda, tem verniz localizado (♥), as fontes, as margens e o espaçamento são ótimos. E no começo de cada capítulo, tem alguma frase das séries favoritas da Pri, que combinam perfeitamente com o momento vivido no capítulo.

Fotos por: Melina de Souza

terça-feira, 23 de abril de 2013

Resenha: Sussurro

Sussurro é o primeiro livro da série Hush Hush da Becca Fitzpatrick, o livro foi publicado pela Editora Intrínseca, e eu, só sei fazer elogios, a capa é muito linda, na versão original tem uma textura maravilhosa (o meu é cópia autorizada, mas eu senti a textura no livro da minha amiga). As páginas são amareladas (♥), o espaçamento e as margens são ótimas, mas confesso que o que me incomodou um pouco foi o tamanho da fonte, que, particularmente, achei muito pequena, mas eu acabei me acostumando. 
O livro conta a história de Nora Gray, uma menina comum, certinha, estudiosa, que não é a menina mais bonita do colégio, nem popular, tudo estava indo bem em sua vida quando seu professor de Biologia resolve formar novas duplas para atividades na classe. Nora acaba ficando com Patch, um garoto lindo, sedutor, perigoso e muito misterioso. 
Depois desse dia, coisas estranhas começam a acontecer na vida de Nora, ele se sente observada quase a todo momento, duvida de algumas coisas que vê, fica confusa, e passa até a se questionar. Sussurro me prendeu de uma forma, que quando acabou confesso que senti um vazio dentro de mim, como ainda não tenho "Crescendo" (o segundo livro da série), vou ter que me contentar com outros livros que estão na minha lista de leitura. Estou super ansiosa para a continuação dessa história viciante!

Obs. Meus amores, desculpem eu ter pegado novamente as fotos do blog da Melina Souza, minha câmera nova deu defeitos e está na autorizada, recebi uma ligação hoje, e soube que o técnico já está concertando e em breve chegará, e meus posts estarão com as minhas fotos. Beijos, e Feliz dia internacional do livro pra vocês :)

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Mudado

Quando eu pensei que só existiam garotos errados, você apareceu e provou que era diferente de todos os outros que haviam passado em minha vida, quando pensei em desistir de tudo, você chegou e me deu motivos para viver, quando eu mais queria chorar, você me fez a garota mais feliz do mundo por estar em seus braços.
Tudo que vivemos, está aqui guardado dentro de mim, nossos diálogos, nossos abraços, o teu beijo, também está guardado em mim e ainda posso senti-lo. Sabe quando você disse que tocava violão pensando em mim? Foi um momento único, e você me fez chorar pela primeira vez, mas de felicidade, o contrário de todos os outros garotos que me machucaram muitas vezes. Lembra quando você tocou violão pra mim? Foi o momento mais feliz que já vivi, me senti única, me senti sua.
Entretanto, tudo mudou desde a última vez que nos vimos, você estava mudado, parecia não mais ser o garoto que me fez feliz, parecia não lembrar mais de todas as coisas lindas que passamos juntos. O que houve com você? Para onde foi o garoto que costumava fazer de tudo pra me ver sorrir? Não sei para onde você você se foi, mas, aonde quer que você esteja, volte por favor, de uma hora para outra, tornei-me dependente de você.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Resenha: As vantagens de ser invisível

Desculpem a demora, porque entrei esse ano no Ensino Médio e confesso que ainda não me acostumei e não consegui organizar horários para estudar, postar no blog, assistir meus filmes e séries e ler. Quem é Ensino Médio já passou/passa por isso, e quem não for, espero que me entendam.
As vantagens de ser invisível, do escritor Stephen Chbosky, entrou na minha lista de livros desejados quando eu vi em alguns blogs que costumo visitar, no início dessa mês, fiz minha visita na livraria e quando já estava indo pro caixa, encontrei ele e acabei trazendo (não sei porque um livro tão bom estava escondido). Não me lembro de fato, quando tempo passei lendo, só sei que foi muito mais do que eu esperava, quando comprei pensei que leria em 3 dias (se eu estivesse de férias, leria em 1). 
Antes de contar a história do livro, vou comentar sobre os aspectos físicos. Para quem não sabe, o livro possui duas capas, uma com a capa original e a outra com a capa do filme, quando eu comprei, só tive a opção da capa do filme, mas, se eu tivesse que optar entre as duas, escolheria a do filme, na maioria das vezes, eu odeio livros com a capa do filme, mas, eu acho a capa original muito "sem graça". O livro foi publicado pela editora Rocco, é muito bem diagramado, páginas brancas (que eu não gosto muito, mas a leitura é tranquila).
A história é contada por cartas, escritas pelo protagonista, Charlie, isso foi algo legal porque eu nunca tinha lindo um livro somente com cartas, e confesso que senti vontade de responder todas as cartas dele. Charlie é um garoto sensível (e muito fofo ai ai), que escreve com naturalidade e inocência, assuntos que ele vive, compartilha sobre seu primeiro beijo, amizades, namoro, escola e assuntos polêmicos (homossexualidade, drogas, abuso, violência, suicídio e sexualidade) mas ele escreve de uma maneira leve que me impressionou. Outra coisa que eu gostei muito no livro, é porque traz muitas referências literárias, cinematográficas e musicais, e foram citadas muitas músicas que eu gosto (muitas musicas dos Beatles), e alguns livros que eu já li.
*Houve um probleminha com minha câmera e por isso, peguei fotos da Melina Souza novamente.
*Quem ai já leu? Gostou? Assistiu o filme? Beijos e bom final de semana!

sexta-feira, 8 de março de 2013

Resenha: Sorte ou Azar?

 Esse é um dos livros tranquilos que normalmente lemos em um dia, mas como voltei ás aulas, e início de bimestre é uma correria, li em 2 dias e poucas horas, praticamente 3 dias, mas enfim, é uma leitura rápida e leve. Eu optei por não ler a orelha do livro, nem a sinopse, pois, eu li em algum blog que "estraga" um pouquinho a história, como se fosse spoilers. Esse é um dos poucos livros da Meg Cabot que não fazem parte de uma série, e como eu acabei de ler um serie quero dar um "intervalo". 
A protagonista é uma menina ruiva do ensino médio chamada Jean que aparenta ter nascido azarada. Assim que ela nasceu, um raio caiu no hospital, consequentemente todos os pacientes tiveram que ser transferidos, o médico apelidou-a de Jinx, que quer dizer, "pé frio". Depois que ela novamente foi prejudicada com a sua falta de sorte, precisou mudar de cidade e morar com os seus tios ricos em New York. 
Chegando em New York, ela finalmente conhece seu novo lar, e também conhece a Petra (a aur pair alemã muito fofa), Jean vai até o caramanchão no fundo da casa para cumprimentar sua prima Tory (da mesma idade) que não via a bastante tempo, e o que era para se simples, acaba sendo totalmente diferente, afinal, não é a toa que o apelido dela é Jinx.
O livro foi publicado pela Galera Record e eu gostei da edição. A capa tem tudo a ver (sim, no livro rola "magia"), as páginas são amareladas (♥), a diagramação, fonte e espaçamento são ótimos.

E aí, alguém já leu? Gostou? O que achou? 
Beijos, e um bom final de semana!

sexta-feira, 1 de março de 2013

Apaixonada por palavras

Escrever. Escrever é o que me faz bem, é o que me move, é o que me deixa feliz. 
Escrevo. Escrevo para não morrer engasgada, engasgada com o amor, engasgada com a raiva, engasgada com os meus sentimentos. 
Sem as palavras, de nada eu seria, não me expressaria.
Não existe razão sem palavras, a escrita, as palavras movem o mundo, nos trazendo notícias, bons livros, emoção. 
Livros bons e boas palavras no trazem sorrisos, lágrimas, suspiros... verdadeiras emoções.
Esse é o verdadeiro sentido da escrita, confesso que sou uma eterna apaixonada por palavras.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Resenha: Fazendo meu Filme 4

Tristeza e alegria, isso descreve o sentimento que ficou depois de ler o último livro da série. O quarto e último volume comprei no Shopping Boulevard Feira de Santana-Bahia, Livraria Atlântica. Fazendo meu filme 4 tem um pouco mais de 600 páginas, porém é um livro tão envolvente, tão perfeito que quando me dei conta já estava chorando com o final (sim, eu chorei, e sabia que iria chorar). A história gira em torno de 5 anos, e é dividida em três partes: a primeira, é contada pela Fani, a segunda, é contada pelo Leo e a terceira é contada pelo dois juntos.
Sabe um coisa que eu achei bem interessante? Os capítulos intercalam presente e passado. A Paula conseguiu fazer isso perfeitamente. Os aspectos físicos são os mesmos de todos os outros da série, páginas brancas, mas isso não impede da história ser perfeita, cada início de capítulo, tem uma frase retirada de algum filme. 
Eu super indico a série Fazendo meu Filme para vocês, juro que quando vocês começarem não vai querer parar, e vão ficar cada vez mais envolvidos com a história da Fani e do Leo, a Paula Pimenta consegue arrancar sorrisos, lágrimas, suspiros, raiva, emoção, alegria e tudo o que vocês imaginarem, a cada página escrita da série.
Fazendo meu filme já deixou saudades, e eu mal posso esperar para ler Minha Vida Fora de série! :)

(Sim, as fotos foram tiradas por mim, agora não preciso mais pegar as fotos da Melina Souza emprestadas hahahaha)

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Como era antes

Lembro-me de como tudo começou, trocamos olhares por horas naquela festa, enquanto as pessoas dançavam, nossos olhares apenas se encontravam, disfarçávamos de vez em quando para as pessoas não perceberem, mas, ao meu redor nada tinha sentido quando o meu olhar estava de encontro ao teu, e o meu desejo era estar em seus braços. Dias depois, recebi uma mensagem no meu celular, de um número estranho, perguntei de quem era, descobri que era seu, trocamos mensagens por horas e a cada mensagem, um sorrio meu você conseguia arrancar, somente você tinha esse poder sobre mim. 
Todos os dias esperava mensagens suas, e quando você me enviava, meu dia ficava perfeito, quando você não mandava, era como se faltasse algo, era como se faltasse um pedaço de mim, me tornei tão dependente de você em pouco tempo, quando me dei conta, era você, meu primeiro pensamento quando acordava, e era você, a pessoa que eu pedia para Deus cuidar em todas as minhas orações. 
Mas o tempo se passou e nossa relação se esfriou, acabaram as palavras, faltou atitude, eu me vi apaixonada por você, enquanto você só pensava em beber com os amigos, virei segundo plano, me tornei a tua segunda opção, e pela primeira vez você me fez chorar, marcamos um encontro, passei horas na frente do espelho mas você não apareceu, chorei por horas, você fingiu que não tínhamos marcado encontro algum, só Deus sabe o quanto isso me machuca até hoje.
Pensei que o meu sentimento por você havia acabado e me envolvi com outro garoto, estava muito bem com ele, mas, em uma noite fria de Junho, quando eu estava bem com outro garoto, você me apareceu, mais bonito do que nunca, tão perfeito aos meus olhos, e tudo aquilo que eu pensei que tinha adormecido, se acendeu, e ainda mais forte, foi então que eu percebi que não era nos braços daquele garoto que eu queria estar, mas sim, nos seus braços, que, para mim, era o lugar mais seguro do mundo. 
Aquele garoto não me fez feliz, pois ao seu lado é onde quero ficar, nós não estamos mais como antes,era tudo tão perfeito, tão lindo, eram madrugadas trocando mensagens, trocas de olhares quando nos encontrávamos, sorrisos.
Sinto sua falta, por favor, me diz que voltará a ser como era antes?

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Resenha: Lonely Hearts Club

Lembro quando adicionei esse livro na minha lista de livros desejados, eu entrei no blog da Melina Souza como de costume e me deparei com a resenha desse livro, como Beatlemaniáca que sou, foi amor a primeira vista pela capa, já que é inspirada em um dos discos dos Beatles, e autora de Crepúsculo (que é minha saga favorita) comentou sobre ele na capa, e lendo o livro descobri que a Elisabeth Eulberg (escritora do livro) é amiga da Stephenie Meyer. Semana passada estava na livraria Atlântica em Feira de Santana - BA e encontrei esse livro, faltei gritar lá dentro, e para minha felicidade risquei mais um livro da minhas listinha de desejados.
A editora Intrínseca (que é minha segunda editora favorita) mandou muito bem nos aspectos físicos do livro. Está tudo muito lindo, tudo muito caprichado, capa linda com verniz localizado (que eu amo) imitando a capa do Abbey Road que aumentou meu desejo beatlemaníaco de tirar uma foto assim. Fontes, espaços e margens ótimos. As páginas são amareladas, detalhes fofos e os capítulos curtos, já sabe aquela velha história de "ah, só mais um capítulo e eu já vou dormir"? Então... 
Lonely Hearts Club conta a história de Penny Lane Bloom, uma garota do ensino médio que após se decepcionar com o garoto que ela pensou que era o amor da sua vida, vai para o quarto e liga o som bem alto (claro que ela optou ouvir The Beatles). Nesse exato momento ela olha para um dos pôsters do seu quarto, o Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club (álbum dos Beatles lançado em 1967) e fica pensativa nas últimas três palavras. Ela decide criar o "Lonely Hearts Club", que em Português significa "Clube dos corações solitários" onde a regra principal é não namorar garotos até o fim do terceiro ano do ensino fundamental/colegial. O motivo dessa decisão é porque os garotos da escola são uns babacas e nenhuma menina precisa deles para ser feliz, pois só pensam em sim mesmo, e acabam afastando das amigas.
O livro tem uma narração leve e divertida. Depois de um tempo, você já sabe o que vai acontecer, então isso perde a graças e eu confesso que não gostei muito do livro, comprei somente porque sou beatlemaniáca. Se quiserem comprar, comprem, porém eu não indico. 

Fotos por: Melina Souza.
E aí? Alguém já leu? Gostou? Ou achou muito clichê como eu achei? 
Quem quiser me acompanhar no skoob, é só clicar aqui
xoxo.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Meme: Selinho da Indicação

A Jennifer do blog Tagarela me indicou para esse meme.

As regras da brincadeira são: As blogueiras que receberem o selinho terão que responder as perguntas feitas  por quem indicou seu blog e listar 10 blogs para fazer o mesmo. Não pode ser blogs famosos com mais de 800 seguidores, pois o intuito do selinho é divulgar blogs.
Então vamos ao que interessa...

1. Como escolheu o nome do seu blog? Na verdade, logo quando esse blog começou o nome era o meu (Bruna Cerqueira) já que comecei escrevendo muito cedo - por volta dos 11 anos. Então eu sabia que precisava pensar em outro nome, já que esse não estava mais tão legal. Então depois de ouvir a música "Palavras ao vento" da Cássia Eller, que é muito linda, decidi que o nome do meu blog seria esse, não foi tão criativo assim, mas meus amigos e leitores gostaram e algum já me conhecem como "A Bruna do Palavras ao Vento".
2. Há quanto tempo tem seu blog? Criei meu blog em Janeiro de 2010, eu tinha 11 anos e escrevia muita bobagem, agora após 3 anos de blog, estou escrevendo melhor e fazendo resenhas de filmes e livros, algumas pessoas me mandam apagar as bobagens que eu escrevia antes, mas não apago, isso é bom e me mostra o quanto evolui, e como era minha cabeça na época.
3. O que motivou você a criar o blog? Eu estava passando por um momento muito difícil em minha vida, e não, não foi um coração partido, foi a separação dos meus pais, nem sei se eu deveria estar comentando isso, mas estou. Então eu postava textos feios e bobos, curiosidades que eu descobria, foi meu companheiro na pior fase da minha vida.
4. Quais seus objetivos com o blog? Não sou como algumas meninas por ai que fazem blogs com a finalidade de se tornar famosa, meu objetivo é simples: Eu escrevo meus textos para não morrer engasgada, e faço resenha sobre livros e filmes para compartilhar com os meus amigos e leitores o que eu gosto de ler e assistir.
5. Quais blogs você visita frequentemente?  A Series of serendipity , Tagarela, ...is Always a Good Idea e Depois dos Quinze.
6. O que te inspira nas hora de criar posts? Minhas relações amorosas, amizade, problemas familiares, histórias de outras pessoas que transformo em conto, filmes, músicas e livros.
7. Um vício... Leitura.
8. Você não consegue viver sem... Deus em minha vida.
9. Gosta de séries de tv? quais? Sim, eu gosto de Suburgatory, The Walking Dead, Two and a Half man e The Big bang Theory.
10. Qual acessório é o seu favorito? Meu anel de corujas.
11. Qual seu livro preferido? Anna e o Beijo francês.
12. Qual cor você mais gosta? Rosa.
13. O que você mais deseja esse ano? Que seja um ano tranquilo no colégio.
14. O que te faz feliz? Minha felicidade se resume em pequenas coisas. Dias chuvosos, beijo na testa, livros, filmes, brigadeiro de panela, amigas, sms fofos, músicas, abraços apertados e demorados, séries de tv, amor, Deus, banho de chuva. São nessas e outras pequenas coisas que está a minha felicidade.

E os blogs que eu indico são:  (Tenho apenas 5 para indicar.)

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

O dia da saudade

30 de Janeiro. Dizem que é o dia da saudade. Eu estava maravilhosamente bem sem você, ouvia músicas românticas sem lembrar de você, lia textos românticos e não encontrava você, acordava e não desejava mais ter você do meu lado. Mas por incrível que pareça, essa coisa de dia de saudade me deixou nostálgica, deixou meu coração pulando do peito, me fez ouvir músicas que me lembram você, me fez sentir uma vontade louca de pegar o primeiro avião e ir de encontro a ti, me deu vontade de te ligar só para ouvir tua voz, me deu vontade de chorar, me deu vontade do seu sorriso, meu deu vontade de você. Me deu uma mistura de dor, vontade e nostalgia, sinto sua falta, sinto uma dor no coração. Dizem que hoje, dia 30 de Janeiro é o dia da saudade, mas, saudades suas, venho sentindo todos os dias e fingindo que está tudo bem.

domingo, 20 de janeiro de 2013

Tudo ótimo sem você

Sei que já escrevi para você muitos textos, muitas cartas, muitas bobagens, coisas que não deveriam ter saído da gaveta, mas, saiu. Você já deve estar se perguntando porque eu não canso de você, porque eu não canso de te querer, e deve estar pensando que essa é mais uma declaração idiota. Fica tranquilo, não é. Fica tranquilo, eu não quero mais você, pode ficar com sua namorada. Foi ela que você escolheu, eu nunca fui escolhida por você. Para você, eu nunca fui uma opção. 
Escrevi mesmo só para te dizer que sei o quanto errei em te amar, errei em criar diálogos e momentos que nunca viveríamos, errei em me declarar todas ás vezes que me deu vontade, errei em querer você, errei em fazer um drama quando te vi pela primeira vez de mãos dadas com ela. Escrevi para dizer que estou bem sem você, eu nunca precisei de você para viver, eu vivi muito bem antes de te conhecer, porque que com a sua ausência seria diferente? Sofri apenas durante. 
Estou bem, como nunca estive antes, comprei roupas novas, apaguei suas fotos, apaguei suas mensagens, joguei fora a carta que fiz para te entregar no seu último aniversário, ás vezes até esqueço que você existe. Estou vivendo maravilhosamente bem sem você. Vai ser feliz, não se importa mais comigo (como se você tivesse se importado algum dia), fica com tua namoradinha esquisita, com seus amiguinhos de merda que se dizem populares e não se passam de falsos que só sabiam me humilhar. Com todo esse sofrimento que você e todos eles me fizeram passar. Eu cresci, não sou mais aquela menina estranha com o all star surrado que vivia sonhando com um beijo seu, com um dia que eu tivesse uma história como aquelas dos filmes adolescentes da Dinsey, que a menina feia e impopular vira popular e conquista o cara popular que nunca deu a mínima para ela. Era assim que eu sonhava. Quer saber de uma? Isso é puro clichê, só acontece em filmes, é continuação dos contos de fadas que meninas tolas acreditam. Eu cresci, evolui, desculpa, meu bem, mas eu cansei de você!

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Perguntas e afirmações estúpidas

- Tudo bem? 
Sempre que me fazem essa pergunta, eu digo "Estou bem, obrigada", sinceramente nunca estou. Sempre falta algo. Será que as pessoas realmente querem saber como me sinto ou fazem essa pergunta estúpida apenas para parecerem educadas? 
- Está solteira porque quer. 
Essa é a coisa mais estúpida que alguém pode falar. Claro que não estou assim porque quero. Não vou sair com qualquer cara só porque ele é bonito ou tem dinheiro. Quero um cara que tenha cérebro, e saiba mais ou menos como tratar uma menina. Mas é óbvio que aparecem, mas não são bons o suficiente para serem chamados de "namorado". 
- No tempo certo, o garoto perfeito vai aparecer. 
Primeiro, garoto perfeitos não existem, ninguém é perfeito, parem de se iludir com esse garotinhos babacas. Segundo, todos falam "no tempo certo ele chega", "essa dor vai passar com o tempo". Tempo? Que tempo? Alguém me avisa ai por favor quando esse tempo que todos dizem irá chegar? E se esse tempo não aparecer? Acredito que bem lá no fundo, essa coisa de tempo é pura balela. 
- Não fica assim, mais sofreu Jesus! 
Quando alguém está sofrendo, precisa de uma palavra para confortar, e esse coisa de comprar com Jesus não dá certo. Jesus não tinha pecados, e todos nós somos pecadores. Por favor, se um dia você confortar uma pessoa que está sofrendo não diz essa palavra, é melhor ficar com a boca calada. 

(Depois de várias tentativas e resenhas de filme, saiu um texto apresentável. Um pouco diferente do que eu escrevia ano passado. Mas enfim, é o primeiro texto do ano, e é o que tenho para hoje. Beijos!)

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Resenhas: "A nova Cinderela", "A última música" e "Água para Elefantes"

                                                       ♥ A nova Cinderela ♥

A nova Cinderela, é uma produção norte-americana de 2004, é uma comédia romântica adolescente, dirigida por Mark Rosman, protagonizado por Hilary Duff. O filme conta a história de Sam, uma adolescente que esfrega o chão, serve sua madrasta diabólica e suas filhas, sonha em ir a faculdade de Princeton - o lugar perfeito para encontrar seu príncipe. Mas parece que ela já tem seu príncipe encantado: seu anônimo correspondente de internet, que dá um jeito de dançar com ela na noite de Halloween do colégio, ela entra em pânico quando descobre quem é o seu príncipe anônimo. A classificação indicativa é livre para todos os públicos. 

                                                        ♥ A última música ♥

Filme produzido em 2010, com Miley Cyrus como protagonista, o romance é a adaptação do livro "A última música" escrito por Nicholas Sparks. Retrata a história de Ronnie (a Miley Cyrus), que tem 17 anos, é filha de pais separados, e seu pai mora longe de Nova York, numa cidade praiana. Depois de 3 anos de separação, ela ainda sente raiva do seu pai por ter separado de sua mãe, até que a mãe decide enviá-la para passar as férias com o pai. Lá, depois de conhecer novas pessoas, e uma paixão ela encontra alguém que, além de bom músico, é, acima de tudo, um verdadeiro pai. A classificação indicativa é livre para todos os públicos. 

                                                  ♥ Água para elefantes ♥ 

Adaptação do livro de  romance da Sara Gruen (que eu já li, e adorei), produzido em 2011, dirigido por Francis Lawrence, com Robert Patisson no elenco, é um drama e histórico (mas que eu também considero romance). Jacob Jankowski, é um idoso com mais de 90 anos que não consegue esquecer sua juventude, nos anos 30 que foi um período difícil da economia americana, onde resolveu trabalhar em um circo. Foi lá, quando era jovem e um ex estudante de veterinária que ele conheceu a brutalidade dos homens com as esposas e também com os animais, mas foi lá que encontrou a mulher que se apaixonou. Embora alguns filmes sejam muito diferentes do livro, esse eu adorei, foi a mesma coisa do livro, adorei e recomendo.