quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Gosto.


Meu Amor, aqui estou eu, mais uma vez, escrevendo uma carta para você, dessa vez, é para te contar algumas das coisas que está aqui dentro de mim já faz algum tempo. Nem me pergunte de onde foi que veio esta coragem momentânea para te dizer tudo que sempre tenho coragem para te falar em meus sonhos, mas do nada, meu deu essa vontade de contar tudo, sabe? Quero que os sonhos virem realidade. E depois, quero que você decida o que vai fazer.
Sabes, garoto, quando eu olho para te e faço de tudo para não ser vista? Não é porque não te amo mais, é porque não quero que tu me vejas daquela forma, e não quero que você descubra que é meu costume olhar-te assim, de longe, de canto de olho, para que ninguém perceba. Não quero que você veja, finalmente, que eu me perco em teus gestos, por isso, que, sempre evito que tu me vejas, desta forma, não quero que você veja coisas além do normal.
Só quero que você fique sabendo, que eu gosto de ti. Gosto do seu olhar. Gosto do seu sorriso. Gosto do jeito que você arruma seu cabelo. Gosto do jeito que você toca violão. Sem que você percebe, quando você sorri, eu faço o mesmo, pois você, não faz a ideia de como é bom te ver sorrindo, de como é bom te ver feliz. Gosto de tudo que você faz. Gosto das suas qualidades, e por mais estranho que seja, gosto até dos teus defeitos.
Não vou escrever mais nada, porque não faço ideia de qual seja a tua resposta. Você sempre será o meu menino, independente de tudo que aconteça entre nós dois, e de tudo que as pessoas falem de você para mim. Você, será sempre o motivo do meu sorriso, a razão do meu viver, o motivo das minha lágrimas, você será sempre o motivo de meus sentimentos estarem confusos, não sabendo que caminho seguir, só sabendo te amar.

Com todo amor,
Sua eterna menina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário