domingo, 10 de julho de 2011

No frio da madrugada


Você se foi naquela madrugada fria, eu estava do mesmo jeito que você havia me deixado, meu corpo doía, o meu coração também, era tão ruim ficar sem você, aqui do meu lado, e o seu cheiro ainda permanecia em meu travesseiro, que já estava molhado das minhas lágrimas. Volta meu amor, volta para mim, não consigo dormir, eu preciso de você, preciso ouvir sua respiração para dormir, e você, não precisa mais dormir mexendo nos meus cabelos? Era assim que nós pegávamos no sono, você se recorda?
Eu fico aqui, esperando meu celular tocar, quero ouvir a sua voz, ou quem saiba um sms teu, e fico aqui pensando, para onde será que você foi? Porque que você foi? E então o despertador toca, hora de ir ao trabalho, eu levanto da cama, tomo um banho demorado, e resolvo chorar mais um pouco debaixo do chuveiro, pego um jeans, uma camiseta, um casaco e um all star, eu não estava com cabeça para vestir algum look mais bolado, me olho no espelho, não sinto vontade de deixa meus cabelos soltos, eu os prendo, e tento disfarças minhas olheiras com bastante corretivo.
Chego no trabalho, me sinto invisível, vou para minha mesa, ligo o computador, e checo todas as minhas redes sociais, é, pelo visto, nenhum recado seu, a sua última foto foi a que tiramos juntos ontem a noite na pizzaria,um pouco antes da madruga fria em que você se foi. A hora de almoço chega, eu volto para casa, eu não sinto fome, então decido me suicidar, não aguentaria mais um segundo viver sem você, foi quando eu joguei a minha bolsa no sofá, e fui, até a cozinha, peguei uma faca, e fui em direção ao banheiro, quando de repente, o celular toca.
Não iria atender, mas uma coisa pulsou dentro de mim, dizia que era você, então eu corri para atender, e era você, chorando, me pedindo perdão, dizendo que me amava, e, eu sentia a profundidade, e que era, verdadeiro, diferente de algumas vezes, que alguns menino fizeram comigo na minha adolescência. Eu o perdoei, larguei a faca, se passaram alguns minutos, e você chegou, e essa noite eu já não ficaria mais sozinha no frio da madrugada.

( Mais um conto, é que minha vida está uma bosta demais para se transformar em um texto, e esse conto foi baseado em um que eu escrevi há alguns meses atrás, eu já o postei aqui. Boa Semana para todos vocês.)

2 comentários:

  1. Que isso só passe de um conto, viu? Homem nenhum tem o direito de fazer com que tires a própria vida.

    ResponderExcluir
  2. ola. tudo blz? estive aquidando uma olhada. muito legal. apareça por la. abraços.

    ResponderExcluir